segunda-feira, 1 de abril de 2013

Something to Fear





Com a terceira temporada do The Walking Dead terminada resta-nos regressar à BD para alimentar o vício. Não vale a pena entrar em grandes detalhes sobre as diferenças entre os comics e a série. Existem, são muitas, os comics ganham em alguns pontos, a série noutros. Mas diferenças fazem com que as duas coisas possam ser apreciadas por si só e contribuem para o enriquecimento do universo Walking Dead. Resumidamente estas são para mim as diferenças essenciais: Os irmãos Dixon foram inventados (e muito bem) para a série, a Andrea desenhada ainda não sofreu nenhuma lobotomia, nos livros fornica-se como senão houvesse amanhã (muitas vezes não há) e o festival da amputação é ainda mais concorrido.
Something to Fear é  o volume mais recente, que reúne os números 97 a 102. Neste volume o grupo encontra o seu maior desafio desde os bons velhos dias do governador. Depois de terem encontrado uma comunidade segura o suficiente e mais ou menos livre de sociopatas com devaneios de ditador (um lugar prontamente preenchido por Rick, com as melhores intenções) o grupo descobre que afinal existem outras comunidades de sobreviventes espalhadas pela zona e que conseguiram até estabelecer um sistema de trocas e entreajuda. O único problema é a existência de um gangue auto-intitulado The Saviors, que no melhor espírito proactivo típico do Apocalipse, montou um esquema de protecção para extorquir as ditas comunidades.
Rick, com o brilhantismo que já lhe conhecemos, conclui que a mais-valia do grupo é a força bruta e oferece-se para acabar de vez com os Saviors, em troca de mantimentos. É verdade que o grupo tem-se safado de situações bastante difíceis, mas sempre à custa de demasiado caos e danos colaterais. Será que endureceram o suficiente para isto? A resposta é previsível. Não. A tarefa que parece não ser muito complicada, inicialmente, acaba num escalar exponencial de agressões. Quando o líder dos Saviors, Negan, entra em cena, Rick tem de admitir que se trata de areia a mais para a sua RV. Negan tem o potencial para ser o vilão mais interessante até à data. Parece ter um sadismo eficiente que deixa o governador a milhas e também um excelente humor negro. Contra ele só pesa o facto de causar a morte de uma das personagens base do elenco numa cena que marca, independentemente de todas as mortes a que já assistimos antes. Ficamos a aguardar ansiosamente pela continuação no volume 18, com data de publicação para Junho deste ano e o título sugestivo de Abandon All Hope.